Aprendendo com a Venezuela

Você certamente nunca deve ter ouvido falar em Gustavo Dudamel, mas ele é é um astro da música erudita, muito conhecido ao redor do mundo.Aos 26 anos, o jovem maestro tem chamado atenção de músicos e críticos com seu jeito diferenciado de reger, cheio de intensidade e paixão. O interessante na história de Dudamel é que ele é um músico formado pelo “O Sistema” , ou  “Sistema Nacional de Orquestras Juvenilis e Infantiles de Venezuela”, um sistema de ensino, organização, participação, integração, criação e execução musical que tem transformado a história de crianças e jovens da Venezuela

O programa reúne mais de 300 mil músicos infantis e juvenis que atualmente estão integrados a 290 orquestras e coros distribuídos em toda Venezuela. Esse programa tem sido elogiado no mundo inteiro pela maneira como usa a música para transformar a realidade dessas crianças. O Gustavo Dudamel de quem falei no começo, era mais uma criança pobre da Venezuela ao começar a participar do Sistema e se apaixonar pela música. Ainda criança ele já era um dos melhores violinistas do programa e aos 12 anos começou como maestro. Durante muito tempo ele foi o regente da Orquestra Juvenil da Venezuela que reúne os melhores músicos das orquestras do programa. Encantados diante do talento de Dudamel, críticos e músicos eruditos tem exaltado o talento do maestro.Ele passou então a ser convidado para reger as principias orquestras do mundo. Esse ano ele foi convidado pela Orquestra Filarmônica de Los Angeles para ser seu novo regente e começa a implantar nos EUA o mesmo modelo do Sistema, dessa vez com crianças em situação de risco na América.

 

A história impressionante de como a Venezuela ( que só aparece nas manchetes por causa das questões ligadas ao presidente Chavez) criou um programa transformador que tem sido copiado no mundo inteiro virou um documentário que faz arrepiar até quem não gosta de música erudita. O Documentário é o “Tocar y luchar” e pode ser visto na íntegra no You Tube (Viva o you tube!).   Simon Rattle diretor principal da Orquestra Filarmônica de Berlim afirma no documentário: “É uma orquestra de um brilhantismo impressionante. Derramei lágrimas de emoção. É uma orquestra que toca desde algum lugar muito profundo

Um trechinho dele você pode ver aqui. E que o Brasil aprenda essa lição com a Venezuela.

 

 

O poder transformador da arte!

C.

 

Anúncios

2 Responses to “Aprendendo com a Venezuela”


  1. 1 Saulo Xavier 3 agosto, 2008 às 3:32 am

    Informativo, convidativo e doce como penso que toda noticia ou “resenha filmica” deveria ser!! Ah se nossa Midia brasileira tivesse mais “Cis” escrevendo!! A nossa perspective filmica acerca do que vem a ser algo “culti” seria completamente diferente! Amei, Ci!!! Que bom q vc eh soh vc e nao tem clone!! Resumindo: vc se garante pq ama o que faz, faz o que ama em louvor, honra e gloria a Ele, que nos amou primeiro!! Ehehehe!! Bjos, querida! Saudades!!! Amo zapear por teu blog! Bj de Curitiba!


  1. 1 Documentários que você tem que ver « a princesa e o guerreiro Trackback em 10 setembro, 2008 às 2:39 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




A observadora

Sou Cibele Tenório, jornalista (com diploma – para total escândalo de Gilmar Mendes), webaholic, mulher de fases. Seja bem vindo!

Eu lá no twitter

Arquivos

RSS Observatório do Cotidiano


%d blogueiros gostam disto: