Diálogos com a alma

 

Talvez não seja tão ruim a mania de conversar consigo mesmo. Homens comuns e reis fazem isso: um diálogo com a alma que parece funcionar. Davi, poeta e rei de Israel nos seus tempos áureos, deixou muitos desses seus diálogos com sua própria alma registrados em suas reflexões. Muitas dessas conversas eram ordens imperativas dadas a ele mesmo. Quantas vezes lemos Davi dizer a si mesmo, tentando aquietar o coração perturbado: Ó minha alma, espera somente em Deus, porque dele vem a minha esperança. (Salmo 62:5)

 

Em outras ocasiões, ele lembra a si mesmo de ser grato: “Bendize ó minh’alma ao Senhor, e não se esqueça de nenhum dos seus benefícios” (Salmo 104)

 

Por vezes, o salmista mesmo não compreende o seu abatimento e recorda o motivo da sua esperança: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda O louvarei, meu Salvador e meu Deus.” E que consolo têm essas palavras milhares de anos depois. Elas continuam funcionando, porque mesmo os tempos sendo outros, a ansiedade que pode abater o coração do homem ainda é a mesma. Homem é homem, medo é medo, seja em que época for. Imutável só o caráter daquele em quem deve esperar a nossa alma.

 

Hoje li o Salmo 131, um trecho dele diz “fiz calar e sossegar a minha alma”. Hoje tive eu mesma um diálogo com minha alma. E a ordenei que sossegasse. E que essa quietude venha não pela confiança na palavra de homem algum, não na força do que eu posso fazer, mas na alegria de que sou cuidada, amparada, sou vista, assistida.

 

“Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas não o quisestes.” Isaías 30:15.  Ah, quantas vezes rejeito esse descanso, que não é mero acaso com o mundo ao redor, e me atropelo em medos e ansiedades que corroem, tiram a paz, deixam o espírito suspenso.

 

Que nesse dia, além dos diálogos com todos ao nosso redor, a gente fale baixinho pra nossa alma o que ela, por vezes perturbada precisa ouvir. Como diria Agostinho: “Tu nos fizeste para Ti mesmo, e não encontraremos descanso enquanto não descansarmos em Ti

 

C.

 

Anúncios

3 Responses to “Diálogos com a alma”


  1. 1 elianderson 29 julho, 2008 às 2:58 pm

    é engraçado isso de conversar consigo
    mesmo. igual quando fazemos poesia,
    expressando algo que queremos dizer
    para nós mesmos. ou até quando lemos
    algo que algum músico disse pra ele
    mesmo, mas que fala tão forte ao nosso
    coração também.

  2. 2 jhonatascabral 30 julho, 2008 às 4:31 am

    Bele que post sintonizante!

    vez por outra essa prosa intrínsica é tão reconfortante…

    É como se o fotógrafo fosse fotografado e o observador, observado.

    E ambos percebem os detalhes que achavam já terem vistos.

    Entre risos e dramas uma coca-cola é uma boa pedida.

    Um forte abraço!

  3. 3 Salmos Bíblicos 16 outubro, 2008 às 12:03 pm

    É os salmos sempres nos falam ao coração


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




A observadora

Sou Cibele Tenório, jornalista (com diploma – para total escândalo de Gilmar Mendes), webaholic, mulher de fases. Seja bem vindo!

Eu lá no twitter

Arquivos

RSS Observatório do Cotidiano


%d blogueiros gostam disto: