Gollum: o impostor que há em mim

cibele-e-turma.jpg

Relacionamentos são sempre surpreendentes. Gosto de descobrir histórias e características novas em amigos antigos. Conheço o Carlos Alberto (comigo e Louise e Ana Cecília na foto) desde os tempos de colégio, fiquei pasma ao descobrir a pouco que ele luta karatê!!!

Penso que não há relacionamento mais surpreendente e fascinante do que aquele que envolve o homem e Deus. A dinâmica do convívio com Ele é sempre diferente. Se a bíblia não fosse realmente um livro inspirado por ele, quem agüentaria ler a mesma passagem mais de duas vezes. Mas a beleza da palavra que se renova, que salta aos olhos, que se aplica a uma situação totalmente nova nos fazem ler o salmo 23, por exemplo, pela milésima vez e aquilo tudo continua fazendo sentido para nós.

Quando criança conheci vários perfis de um mesmo Deus. Ele era um guerreiro poderoso que fazia uma criança como Davi derrotar gigantes, um Deus amável que fazia com que a órfã Ester ganhasse um concurso de beleza concorrido e se tornasse rainha. Já passei épocas encantada com a fidelidade de Deus, já bati boca com ele querendo explicações para o que não entendia, já fiz birra como criança espalhafatosa no shopping center. Já vivemos muitos perrengues juntos. Mas nesse tempo nada me surpreende mais do que o fato de que Ele perdoa pecados. Sim, os meus. Muitos que não conhecia, outros que fingia que não via.

A medida que amadureço, que fico mais velha mesmo, tenho cada vez mais e mais noção do que significa “velho homem”. Essa revelação é diretamente proporcional ao tempo e intensidade da nossa caminhada com Ele. Sinto o peso desse homem velho e corruptor que habita em mim. Sim, existe um impostor aqui dentro. Uma segunda face de mim mesma que desconheço e que quer ganhar força.. Aos leigos, é mais ou menos como vive o Gollum, personagem do senhor dos anéis que guia os hobbits Frodo e Sam. Gollum vive num conflito eterno, está dividido entre o bem (Smeagol) e o mal(Gollum). Às vezes quer ajudar Frodo outra hora deseja usurpar o anel.

Existe uma parte de mim que não deseja servir, nem amar. O impostor é cético e duvida que Deus esteja interessado na sua vida. Que quer ser independente, viver ao seu bel prazer. Existe um impostor em mim que não quer se dobrar. O impostor, nesse caso, a impostora deseja viver usando máscaras. Tão feia e assustadora quanto Gollum, é uma parte de mim que só pode ser vencida quando recorro à graça de um Deus que deseja me fazer à imagem do seu Filho e que ainda me ama mesmo sabendo o trapo que sou. Cada vez mais entendo quanto preciso da graça. Como diria C. S. Lewis “A prostituta e o pastor precisam e dependem da graça de Deus”

Morrendo, renunciando, me dobrando, sofrendo para fazer as escolhas certas, a impostora em mim vai morrendo também. Que dá trabalho dá, mas tem valido a pena.

Cada vez mais entendo que santo não é aquele que não peca, é aquele que entende que é separado para um propósito, consagrado e precisa viver como tal.

Carregando o anel até o retorno do Rei.

C.

Anúncios

5 Responses to “Gollum: o impostor que há em mim”


  1. 1 mczbahiano 20 novembro, 2007 às 6:39 pm

    e eu não sei quem foi que
    foi que inventou que Senhor dos
    anéis não era um filme bom. o
    filme todo dá uma pregação.
    hehehehe. É graça demais, derramada
    numa medida que não dá pra
    entender. Apenas aceitamos!

  2. 2 Jeff 21 novembro, 2007 às 5:23 am

    Muuuuuito lindo saber que vc tem blog, tô favoritando, claaaaaaaaaro!
    Ah, viu como eu tô vip? Jeff agora só nas “RaiPaipes”

    Texto perfeito demais, amo “Lord” e vou amar as analogias aqui.

    E vc aprende, mexe mais que é facinho

    Ah, e não podia deixar de comentar: se achando com o Layout da Ídola hein? Hahahahhaha

  3. 3 Louise Honorato (eu) 21 novembro, 2007 às 1:55 pm

    Que talento,Cibele! D+, D+, D+! Amei o texto, e me senti motivada a ir além no meu relacionamento com Deus. Sua vida é um exemplo para mim!

  4. 4 Eduardo 22 novembro, 2007 às 12:38 pm

    é por coisas assim que eu admiro vc…
    Seria tão mais simples ser só uma menina bonita
    Mas vc escolhe ser tudo junto.
    Tão bonita por fora quanto é por dentro.
    Bj pilantra!

  5. 5 Fabyo 3 outubro, 2008 às 6:06 pm

    Oi, achei o teu blog no google enquanto tentava achar o meu….rs
    Achei muito interessante esse reflexão sobre o Gollum, e queria
    te convidar a ver meus últimos posts sobre Uma Oração Puritana.

    Um abraço Cibele,

    Fabyo.

    http://www.velhoimpostor.blogspot.com


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




A observadora

Sou Cibele Tenório, jornalista (com diploma – para total escândalo de Gilmar Mendes), webaholic, mulher de fases. Seja bem vindo!

Eu lá no twitter

Arquivos

RSS Observatório do Cotidiano


%d blogueiros gostam disto: